Bate-papo: Pessimismo, desistir do blog, felicidade

blog da gica

O post de hoje é totalmente diferente do que vocês estão acostumados a ver aqui no blog e, provavelmente, vai mudar e muito a visão que vocês têm sobre esse meu cantinho. Hoje não vai rolar nenhum tipo de dica, inspiração, nem nada disso, hoje eu quero apenas conversar com vocês e contar o que rolou nesses últimos tempos. Pra chegar onde eu quero, vou ter que começar do começo, então se prepara que lá vem história.

Desde pequena, na verdade, desde que eu me entendo por gente eu sou, digamos que pessimista. Não chega a ser do tipo “nossa, vai dar tudo errado”, mas eu desconfio de tudo que dá certo pra mim. Não sei se tem a ver com a minha criação, o lugar de onde eu vim, os exemplos de outras pessoas que eu acompanhei de perto e de longe, ou se simplesmente faz parte da minha natureza. Enfim, esse mesmo pessimismo e mania de achar que as coisas só dão certo para os outros foi o que me fez adiar a ideia de criar um blog por tanto tempo. Eu acompanho vários blogs, famosos ou não, e sempre tive um peso sobre mim que me fazia pensar que aquelas pessoas tinham algo que eu não tinha. Como se minha visão de mundo fosse apenas de espectadora, e não de protagonista. Enfim, no dia 1 de dezembro de 2015 eu, finalmente, criei o blog e, para minha surpresa, o crescimento foi e está sendo muito rápido. 

Acontece que, mesmo com tudo dando certo e recebendo o carinho e aceitação de vocês, por dentro eu ainda me perguntava quando que alguma coisa ia dar errado. Não que eu quisesse, mas já estava preparada pra ver tudo indo por água abaixo. Em abril, como alguns de vocês perceberam e até me cobraram bastante, quase não teve post, e isso se deve ao fato de que eu estava com tanta coisa acumulada pra fazer que acabei desistindo parcialmente de tudo. Blog, YouTube, colégio, monografia, meus compromissos na igreja, vida social e tudo. Abril foi um mês tão corrido que chegou um ponto em que eu desisti e decidi apenas observar aquilo passar. Traduzindo, a frequência de posts caiu brutalmente, não postei vídeos no canal, não estudei pra nenhuma prova, não saía com meus amigos. Enfim, apenas observava a vida passar – acho até que foi o período da minha vida que eu mais dormi. Como tudo na vida, isso me trouxe consequências já esperadas, perdi relativamente o número de acessos diários, perdi inscritos, fiquei de recuperação de várias matérias, não entrei na escala de maio e me vi afastada dos meus amigos.

E sabe o que eu percebi com tudo isso? O que atrasa minha vida não é nada sobrenatural, como um karma ou algo do tipo, são minhas atitudes. Parece idiotice falar uma coisa tão obvia, mas é uma realidade que eu não tinha percebido – ou até tinha, mas não queria aceitar. Enfim, finalmente eu percebi e aceitei isso, então resolvi “voltar a viver”, e isso inclui os posts que eu fiz esses últimos tempos. Mas sabe o que faltou? Vontade. Como se aquilo de “quero ter um blog, preciso ter um blog” fosse algo passageiro. Até ai tudo bem pra mim, já que estou acostumada com todo mundo jogando na minha cara desde sempre que tudo que eu começo eu não termino. Em nenhum momento eu fiz posts com falta de atenção e carinho, pelo contrário, o pouco tempo que eu tirava pro blog eram os melhores momentos da minha semana, mas conforme a semana ia passando aquele encanto por blogar ia se perdendo, já que tinha outras coisas pra fazer. 

Enfim, eu estava quase desistindo do blog de verdade e o que me prendia e me fazia pensar mil vezes antes de tomar essa decisão era o número significativo de pessoas que me acompanham e têm um carinho maravilhoso por mim – vocês são demais. Acontece que, mesmo com tudo isso, a ideia de jogar tudo pro alto e voltar pra minha vida normal ainda persistia na minha cabeça. E era aqui que eu queria chegar. Não sei se vocês perceberam – alguns sim, porque até me mandaram mensagens no facebook haha – mas o blog estava fora do ar desde segunda-feira. Tratava-se de um problema que tive com o servidor e coisas que não vem ao caso agora. Pensa numa pessoa que chorou igual criança?  Isso mesmo! Abrir a página inicial do meu blog e ver que tudo aqui tinha “acabado” foi como receber um soco no estômago. Eu não sabia o que fazer, não sabia fazer nada além de chorar e pensar “eu não quero que isso acabe”. Parece bobeira, mas não é. Sabe aquela história de que a gente só da valor às pequenas coisas quando as perde? Então, foi exatamente isso que aconteceu. Eu só dei valor a tudo isso aqui quando me vi sem. 

Pra finalizar: O problema está resolvido, o blog voltou ao ar e junto dele voltou aquele espirito de querer fazer acontecer que eu tinha lá no comecinho. Fiz uma promessa pra mim mesma que não vou mais deixar o blog e o canal desatualizados, que, independente do esforço que eu vá fazer, não vou deixar isso aqui acabar. Isso é o que eu amo, eu amo blogar. E outra coisa muito importante que prometi pra mim mesma é que não vou mais deixar que momentos e situações ruins me façam desistir do que eu gosto. Fiz todo esse texto na melhor das intenções, que é passar o que eu vivi pra vocês de uma maneira que os faça repensar suas atitudes. Você é pessimista? Você já desistiu de alguma coisa por bobeira? O que acha que está perdendo da vida por falta de coragem? Espero muito que vocês tenham absorvido tudo isso que eu disse de uma forma construtiva, que meu exemplo entre na cabeça de vocês e os ajude a repensar tudo antes de tomar uma decisão. Lembrem-se sempre que o que realmente importa é a nossa felicidade, é saber que estamos vivendo não só por viver, mas por fazer o que amamos. Afinal, de que vale a vida senão para viver momentos de felicidade fazendo o que gostamos de fazer? Sinta-se livre para comentar aí embaixo sua opinião sobre tudo isso e, caso queira, se abrir a respeito de alguma questão pessoal, será um prazer (tentar) ajudar.




YOUTUBE | FANPAGE | LOJA VIRTUAL